5 Formas de facilitar o uso do seu EPI neste verão



Já falámos anteriormente num artigo sobre o trabalho em ambientes frios. Mas agora com a chegada do verão, chega também o sol e o calor. E com isso, um potencial problema nos dias quentes que se farão sentir:


O negligenciarmos o uso dos nossos Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e prejudicarmos o nosso trabalho, mas mais grave que isso, a nossa saúde, devido à desidratação e outras enfermidades provocadas pelo calor excessivo.






Muitos de nós tentaremos ficar mais “à vontade” enquanto trabalhamos, mas temos de ter em mente que os acidentes de trabalho não tiram férias!






Para quem trabalha num escritório, a solução pode passar simplesmente por ligar o ar condicionado, retirar um casaco ou arregaçar as mangas.


No entanto, para aqueles que trabalham por exemplo, em ambientes exteriores, trabalhar com EPI não é assim tão simples - pode oferecer alguns desafios e ficarem facilmente expostos a ameaças como a insolação, a desidratação, e raios Ultra-Violeta (UV) que são potencialmente causadores de cancro. Entre estes trabalhadores encontram-se os de indústrias como a construção, o petróleo, o gás e a energia.



A maioria de nós reconhece a importância dos EPI, mas no clima quente, ensolarado e de verão, pode ser muito tentador removermos os capacetes ou outros EPI para arrefecer, mesmo que por breves momentos, e podemos depois esquecermo-nos de colocá-los de volta.


Desta forma, recomendamos-lhe:

5 formas de facilitar o uso do seu EPI neste Verão

Ter em conta que estas recomendações devem ser não só tidas em conta pelos colaboradores como também pelos empregadores.



1 - Evitar as horas de maior calor

Trabalhar ao calor


Se possível, deveremos ficar fora do alcance do sol durante a fase mais quente do dia, adiantarmos ou atrasarmos o turno de trabalho, e usarmos um chapéu ou um capacete com abas grandes o suficiente para protegerem também o pescoço do sol.







2 - Manter-se hidratado!
Hidratação no trabalho

A desidratação é um problema sério em zonas de Portugal que têm temperaturas muito altas nos meses mais quentes. A função cognitiva pode ficar reduzida, os tempos de reação aumentados, a tomada de decisão prejudicada, e consequentemente a produtividade reduzida.



Eis algumas dicas de como prevenirmos os riscos de desidratação:

  • Hidratarmo-nos bem antes do nosso turno de trabalho;

  • Minimizarmos o consumo de álcool;

  • Não esperarmos por sentir sede, pois na altura em que sentimos sede o nosso corpo já se encontra desidratado;

  • Darmos preferência a bebidas saudáveis e com baixos níveis de açúcar;

  • Consumirmos bebidas frescas (são mais apelativas e encorajam mais ao seu consumo);

  • Deveremos ainda ter sempre uma garrafa de água por perto para evitarmos os efeitos da desidratação (a sensação de sede, tonturas ou confusão).

  • Bebermos água em pequenas quantidades de forma regular, em vez de grandes quantidades apenas ocasionalmente;

  • Consumirmos alimentos ricos em água (como por exemplo melancia).


Quando há um número significativo de colaboradores no local de trabalho, pode ser uma boa ideia criar vários pontos de recolha de água, bem como estruturas temporárias que ofereçam sombra e/ou fresco para os colaboradores fazerem pausas sempre que necessário.


Já percebemos que nos devemos certificar que nos mantemos hidratados durante os dias de trabalho mais quentes, pois especialmente ao trabalhar com EPI, o nosso corpo pode perder água muito rapidamente através da transpiração.

Mas os sinais de desidratação podem ser facilmente ignorados se nos estivermos a aproximar de algum prazo no nosso trabalho (“são só mais 20 minutos”, ou estamos tão concentrados que “fica para depois”), e devemos evitar estas situações.



3 - Escolher o tipo certo de EPI, e mantê-lo em condições!