top of page

Os EPIs e a Construção Civil - Porque não estão na primeira linha de defesa, mas são essenciais?

E porque há trabalhadores que oferecem resistência ao uso dos mesmos?

Como vimos no artigo anterior, apesar de na construção os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) não serem vistos como a primeira linha de defesa, pois uma hierarquia de controlo começa com a eliminação ou substituição dos perigos, os EPIs são essenciais quando não existem outras medidas de prevenção dos riscos existentes.


O EPI limita assim a exposição do trabalhador a objetos ou outros produtos prejudiciais que possam causar danos graves.


E que perigos existem no local de trabalho que tornam o uso EPI essencial?

Já sabemos que um risco no local de trabalho abre espaço a potenciais danos aos trabalhadores. E se por um lado os empregadores são responsáveis por remover esses perigos, os trabalhadores devem ter sempre uma compreensão clara dos riscos de segurança e serem responsáveis por usarem os seus EPIs.


Os riscos mais comumente encontrados numa obra de construção civil incluem:

  • Riscos de Segurança

  • Riscos Biológicos

  • Riscos Químicos

  • Riscos Físicos e Ergonómicos

Riscos de Segurança

Condições ou atividades na área de construção que causam acidentes, ferimentos ou morte. Algumas ações ou cenários que constituem riscos para a segurança incluem:

  • Andar sobre pisos escorregadios;

  • Recorrer a uma ferramenta de trabalho com anomalia;

  • Trabalhar sobre um andaime instável (consulte as medidas preventivas aqui);

  • Ausência de equipamento de proteção contra quedas;

  • Trabalhar num ambiente mal ventilado.

Riscos Biológicos

Todos aqueles consequentes da exposição a vírus, bactérias, e animais ou humanos infetados.


Riscos Químicos

Todos aqueles que expõem o trabalhador ao contacto direto com um líquido prejudicial. Os empregadores devem fornecer o equipamento correto aos trabalhadores e adotar todas as medidas para evitar o extravasamento de produtos químicos.


Riscos Físicos

Incluem por exemplo o ruído, que provoca danos na audição. Os trabalhadores da construção civil devem usar tampões ou protetores auriculares para evitar consequências na sua qualidade auditiva.


Riscos Ergonómicos

As atividades físicas excessivas também expõem os trabalhadores ao risco de lesões. Um trabalhador que levanta repetidamente objetos pesados ou não transporta o objeto corretamente comprometendo a sua postura, corre o risco de criar lesões.


Quais são os EPIs mais comumente usados na construção?

Existem vários tipos de EPIs, cada um desenvolvido para proteger uma determinada parte do corpo contra um perigo específico.


É então importante fazer uma avaliação do risco, de forma a identificar esses perigos e determinar os diferentes tipos de equipamentos que serão necessários. Se na avaliação o risco foi considerado insignificante, então os EPIs podem não ser necessários, pois nestas situações, o uso de EPI pode tornar-se inadequado, aumentando o risco geral para todos os envolvidos. No entanto, noutros casos, pode ser necessário aplicar uma regra geral de trabalho para usar certos tipos de EPIs como por exemplo capacetes (nas obras) ou luvas (ao trabalhar com produtos químicos).


Os trabalhadores da Construção Civil, estão sujeitos a diversos tipos de lesões, entre elas:

  • Cortes, abrasões e perfurações na pele;

  • Partículas no ar que entram nos olhos;

  • Impacto físico ou perfuração, danificando órgãos internos;

  • Queda de objetos, esmagando os membros inferiores.

  • Dermatite (por exemplo, se a pele entrar em contato com substâncias irritantes);

  • Cegueira (se por exemplo, houver contacto dos olhos com substâncias corrosivas);

  • Cancro do pulmão (se por exemplo o trabalhador inalar regularmente pó de sílica).

E quais são as vias de exposição para estes riscos?

  • A pele (contacto com produtos químicos corrosivos);

  • O sistema respiratório, como os pulmões (inalação de pó);

  • Os olhos (substâncias irritantes);

  • O canal auditivo (ruídos altos);

  • Todo o corpo (insolação, hipotermia, entre outros).


Os EPIs comumente usados na construção são então:

Equipamentos de Protecao Individual na Construção Civil. Proteção da Cabeça, Proteção Ocular, Proteção das Mãos, Proteção da Pele, Proteção Auditiva, Proteção Respiratória, Alta Visibilidade, Proteção dos Pés, Proteção contra quedas. Protectedmode

1. Proteção da Cabeça

Todos os locais de construção requerem proteção da cabeça, nomeadamente capacete. Para que esta proteção seja eficaz, devemos garantir que o capacete está em boas condições (se estiver com defeito, deve ser substituído), o tamanho deve ser adequado ao tamanho da cabeça do trabalhador, deve encaixar confortavelmente, e ainda, não deve impedir que o trabalhador use proteções auditivas como tampões ou auriculares.

Equipamentos de Proteção Individual Proteção da Cabeça Indústria da Construção Civil Protectedmode









2. Proteção dos Pés

Os trabalhadores da construção civil devem usar calçado de segurança, a fim de evitar lesões nos pés, e deve incluir as seguintes características:

  • Biqueira de aço ou outra igualmente resistente;

  • Solas antiderrapantes;

  • Solas resistentes à penetração;

  • Isolamento contra temperaturas frias;

  • Isolamento contra temperaturas quentes;

  • Proteção metatarsal.

Consulte abaixo alguns dos nossos produtos com características referidas acima:

Equipamento de Protecao Individual Protectedmode Calçado de Segurança Adaptador calçado antiderrapante para gelo
Equipamento de Protecao Individual Protectedmode Calçado de Segurança Sapato Microfibra S1p Aquiles Palmilha Anti-Perfuração
Equipamento de Protecao Individual Protectedmode Calçado de Segurança Bota S3 Compósito Forro de lã, Isolamento Frio
Equipamento de Protecao Individual Protectedmode Calçado de Segurança Sapato Redpro - Biqueira em policarbonato com proteção anatómica resistente ao impacto superior a 200J e à compressão de cargas até 15kN
Equipamento de Protecao Individual Protectedmode Calçado de Segurança Bota soldador onuba S3 Proteção Metatarsal
Equipamento de Protecao Individual Protectedmode Calçado de Segurança Sapato em Pele Microfibra s1p olimpia microfibra perfurada para maior ventilação
Equipamento de Protecao Individual Protectedmode Calçado de Segurança Biqueira Visitante com elástico












Riscos associados

  • Queda de objetos: pode provocar esmagamento dos pés e/ou dedos dos pés, por exemplo, ao manusear cargas pesadas;

  • Cortes e Abrasões provocados por impacto;

  • Perfurações: por exemplo, pisar objetos pontiagudos que perfuram o sapato, causando cortes e feridas na sola do pé.

Tipos de Proteção dos Pés

Botas ou sapatos de segurança
  • São o tipo mais comum de calçado de segurança (clique na imagem abaixo para consultar o nosso Calçado de Segurança).

Equipamento de Proteção Individual Protectedmode Calçado de Segurança Construção Civil











Galochas de segurança
  • Adequados para trabalhar em condições húmidas;

  • São úteis em trabalhos onde o calçado precisa de ser constantemente lavado (por exemplo, em pedreiras que necessitam de ser lavadas para evitar que o pó de sílica seque e se espalhe).

Calçado Especializado

É um calçado projetado para proteger contra os perigos associados a tarefas específicas, e que protegem contra perigos como fundições, uso de motosserra, entre outros.


Consulte aqui, os diferentes níveis de segurança do calçado de segurança, e respetivas características.


3. Proteção Auditiva

Na construção civil, os trabalhadores enfrentam altos níveis de ruído que podem provocar lesões auditivas.


Os fatores mais significativos para estas lesões são o nível do ruído e a duração da exposição ao mesmo. Por exemplo, é possível provocar danos mesmo quando, apesar do nível de ruído ser alto, a duração da exposição ao mesmo for curta. Desta forma, os trabalhadores devem usar sempre proteção auditiva que corresponda à duração da exposição e ao nível de ruído que enfrentam.


Da mesma forma que o uso do Capacete não deve impedir o uso de Proteção Auditiva, esta também não deve impedir o uso do capacete.


Tipos de Proteção Auditiva

Equipamento de Protecao Individual Protectedmode Proteção Auricular - Auricular High Vision







4. Proteção Contra Quedas

É vital que o trabalhador que usar proteção contra quedas seja devidamente treinado e instruído sobre a mesma, caso contrário, pode sofrer um acidente muito grave ou mesmo fatal. Ainda, o equipamento deve ser inspecionado regularmente se contiver componentes como cordas ou correias que se deterioram ao longo do tempo, ou estiver exposto a condições específicas que também o possam deteriorar mais rapidamente.


Para estes equipamentos devem ser tidos em conta alguns fatores como:

  • Altura e carga máxima exigidas;

  • Número suficiente de pontos de ancoragem convenientemente localizados, seguros e protegidos;

  • Número suficiente de cordas, de comprimento e tipo adequados.


5. Proteção da Mão e Braço

Equipamento de Protecao Individual Protectedmode Proteção das mãos e dos braços

Riscos associados

  • Cortes e abrasões;

  • Lesões por impacto;

  • Perfurações, pela manipulação de objetos pontiagudos;

  • Ambientes frios;

  • Vibração (por exemplo ao manusear ferramentas manuais pneumáticas).

  • Perigos elétricos;

  • Contacto com substâncias ou produtos químicos perigosos;

  • Materiais radioativos;

  • Temperaturas extremas de contato (por exemplo devido ao manuseio de materiais quentes ou frios);

  • Infeção cutânea e generalizada (devido a contaminação por agentes biológicos);

  • Imersão prolongada em água.

Tipos de Proteção da Mão e Braço

  • Luvas: Protegem apenas as mãos;

  • Luvas com punho: Protegem as mãos e os pulsos;

  • Mangas e Luvas longas: Protegem as mãos, pulsos e parte dos antebraços;

  • Manguitos: Protegem qualquer parte dos braços, ou a totalidade dos antebraços e/ ou braço.

Características dos diferentes tipos de luvas que podemos encontrar


6. Proteção Corporal

A Proteção Corporal inclui o uso de fardamento de Alta Visibilidade.

Equipamento de Protecao Individual Protectedmode Proteção do Corpo - Alta Visibilidade

A cor e as faixas refletoras devem ser mantidas limpas a fim de permanecerem claramente visíveis em todos os momentos do trabalho.


Ainda, este fardamento pode ter dupla funcionalidade. Além de ser altamente visível, pode e deve por exemplo, ser também adequado à temperatura do ambiente (quente ou frio).


3 Classes de Alta Visibilidade

  • Classe 1 - O menos visível (coletes e a maioria das calças), e portanto, de menor nível de proteção;

  • Classe 2 - Mais visível do que a classe 1 (coletes, casacos e algumas calças);

  • Classe 3 - O mais visível (casacos e macacões), fornecendo portanto o mais alto nível de proteção.


7. Proteção Ocular e Facial

Equipamento de Protecao Individual Protectedmode Proteção Ocular - Óculos anti-embaciantes com elástico ajustável

Os equipamentos de proteção ocular e facial protegem contra poeiras, gás, projeção de líquidos ou limalhas, gás e encadeamentos.


Deve-se sempre garantir que esta proteção se adequa ao rosto do trabalhador, pois se for muito grande pode facilmente cair e deixar o trabalhador exposto, e deve-se ter em consideração também o anti-embaciamento, de forma a não obstruir a visão.




Riscos associados

  • Projéteis, tais como partículas, lascas, detritos, materiais ou objetos (devido ao trabalho com máquinas, ferramentas manuais ou materiais abrasivos);

  • Poeira, gás ou vapor em contacto com os olhos (vindo de máquinas, limpezas de alta pressão ou uso de substâncias sob pressão);

  • Substâncias perigosas que entram em contacto com os olhos, como resultado do seu manuseamento;

  • Calor ou materiais quentes que entram em contacto ou danificam os olhos (calor radiante, metal fundido, sólidos quentes, faíscas ou líquidos quentes), devido ao trabalho a quente (por exemplo soldagem) ou trabalho perto de ambientes muito quentes (por exemplo fornos);

  • Radiação (luz intensa ou outra radiação emitida em níveis que possam provocar lesão, em tarefas como soldagem ou trabalho com laser).


Tipos de Proteção Ocular e Facial


8. Proteção Respiratória

Equipamento de Protecao Individual Protectedmode Proteção Respiratória. Semi máscara com filtro

Os trabalhadores da construção civil devem usar equipamentos que impeçam a inalação de gases, poeiras e vapores que danifiquem os pulmões, sendo portanto essencial selecionar um equipamento que se adapte ao trabalhador e ao propósito pretendido.


Tipos de proteção respiratória


9. Proteção da pele

Os trabalhadores da construção civil podem necessitar de proteção da pele para proteger todo o corpo contra o contacto com substâncias prejudiciais ou abrasivas. É ainda extremamente importante não usar peças soltas perto de máquinas em movimento, para não correr o risco destas ficarem presas.


O material destes equipamentos deve ser impermeável, não só à água mas também quimicamente se necessário, e a sua extensão deve depender da natureza do produto a que se estará exposto:

  • Para pequenas quantidades de produtos químicos de baixo risco: um avental poderá ser suficiente;

  • Para quantidades maiores, tais como sprays: casacos e calças de proteção, ou fatos;

  • Para grandes quantidades de substâncias muito perigosas, seriam necessários fatos estanques (bem como equipamento de proteção respiratória associado), veja exemplos aqui.

Tipos de Proteção da Pele


Então, sabendo tudo isto, porque ainda há trabalhadores que não usam os seus EPIs?


É fácil supormos que qualquer pessoa use proativamente o seu EPI no decorrer do seu trabalho ou atividade perigosa. No entanto, e infelizmente, alguns trabalhadores não o fazem, colocando-se a eles próprios e aos colegas em risco, e é necessário perceber o porquê de estas situações ocorrerem, para podermos colmatá-las.


Embora os colaboradores por vezes se recusem a usar os seus EPIs, por motivos religiosos ou de saúde, a maioria das recusas deve-se à pouca ou nenhuma orientação e supervisão, baixa consciência e perceção dos riscos, ou erro humano.


O que os empregadores devem fazer nas situações de recusa?

Protectedmode - Sensibilização, informação e questionar trabalhadores que recusam usar Equipamentos de Proteção Individual

Se os colaboradores não entenderem porque é que o EPI é necessário, o mais provável é que não o usem, certo? Desta forma, é muito importante tentarmos compreender, junto do trabalhador, as razões que levam a que este esteja a oferecer resistência ao uso do EPI. Devemos tentar perceber o “Porquê?”.


É aqui que a comunicação, a empatia e a sensibilização se tornam vitais para a resolução desta questão. Se os colaboradores forem corretamente sensibilizados e informados sobre os perigos que enfrentam quando não usam proteção, estes podem efetivamente mudar as suas práticas e passar a usar os EPIs.


Contudo, mesmo depois de toda a sensibilização e informação, podem existir trabalhadores que continuem a oferecer resistência à utilização dos EPIs. Quando estas situações acontecem, é aconselhável tentar perceber se existirá algum desconforto aquando a utilização do EPI, se o tamanho estará adequado, e se não restringe os movimentos do trabalhador, pois estes podem ser “sintomas” que vão passando despercebidos mas que criam a resistência ao trabalhador.


É importante referir que a utilização de EPIs têm uma menor taxa de aceitação quando os empregadores exigem que estes os usem, sem primeiro os sensibilizar, informar e questionar.


Concluímos então que uma boa comunicação, formação e sensibilização, são fatores essenciais que podem ajudar a ultrapassar estes bloqueios e resistências por parte dos trabalhadores, que colocam em risco a saúde de todos os envolvidos.





Adaptado de

Occupational Health and Safety: www.hseblog.com

Industrial Health & Safety Review: www.isrmag.com

Go Canvas: www.gocanvas.com

CDP Online College: cpdonline.co.uk


bottom of page